HOME PAGE JAVASCRIPT
Botões Cálculos Datas Essenciais Janelas Flutuantes Menus
HTML CSS FLASH PHP ASP GERADORES CORES MISCELANEA Contato  






Funções PHP

Lista de funções F G

  • Funções de manipulação de arquivos
    Principais funções de manipulação de arquivos

  • fclose ( $arquivo ) - fecha um arquivo aberto com a função fopen.
    Ex: <?php
    $arquivo = fopen('qualquerum.txt', 'r');
    fclose($arquivo);
    ?>


  • feof ( $arquivo) - verifica se a última linha do arquivo foi atingido.
    Função útil para loop através de dados de comprimento desconhecido
    Ex: <?php
    $myFile = "YourFile.txt";
    $handle = fopen($myFile, 'r');
    while (!feof($handle))
    {
    $data = fgets($handle, 512);
    echo $data;
    echo "
    ";
    }
    fclose($handle);
    ?>


  • fgets ( $arquivo, $tamanho ) - retorna uma linha de um arquivo aberto. $tamanho, opcional, especifica o número de bytes a ser lido. O padrão é 1024 bytes.
    Ex: <?php
     $arquivo = "arquivo.txt";
     $handle = fopen($arquivo, 'r');
     while (!feof($handle))
     {
     $Data = fgets($handle, 256);
     print $Data;
     print "<p>";
     }
     fclose($handle);
     ?>

  • file_exists ( $arquivo ) - verifica se um arquivo ou diretório existe, retornando TRUE em caso afirmativo e FALSE caso não exista.
    Ex 1: <?php if (file_exists("introducao.php")) { echo "O arquivo $filename existe"; } else { echo "O arquivo $filename não existe"; }?>
    resultado: O arquivo existe

  • filectime ( $arquivo ) - informa o número de segundos desde às 00:00:00 do dia 1 de Janeiro de 1970 Unix timestamp até a última modificação do arquivo, retornando FALSE caso o arquivo não exista.
    Ex 1: <?php
    $arquivo = 'funcoes_F.php';
    if (file_exists($arquivo)) {
    echo filectime($arquivo);
    }?>

    resultado:
    Ex 2: <?php
    $arquivo = 'funcoes_F.php';
    if (file_exists($arquivo)) {
    echo date ("F d Y H:i:s.", filectime($arquivo));
    }?>

    resultado:

  • filesize ( $arquivo ) - retorna o tamanho de um arquivo em bytes, e caso o arquivo não exista retorna FALSE.
    Ex 1: <?php $arquivo = 'diagrama.jpg';
    if (file_exists($arquivo)) {
    echo "Tamanho de $arquivo: " . filesize($arquivo);
    }?>

    resultado: Tamanho de diagrama.jpg: 63699

  • floor ( $arquivo ) - arredonda um número fracionário para um inteiro menor.
    Ex: <?php echo floor(7.321); ?>    resultado: 7
    <?php echo floor(2.999); ?>    resultado: 2
    <?php echo floor(-2.999); ?>    resultado: -3

  • fopen ( $arquivo, $modo ) - serve para abrir arquivos, seja um arquivo guardado na pasta do servidor ou em uma url
    Ex 1: <?php $file = fopen("teste.txt","r");?>

  • fmod( $numero, $divisor ); - retorna o módulo (resto) da divisão de $umero por $divisor
    Ex 1: <?php
    $x = 3;
    $y = 2;
    $r = fmod($x, $y);
    echo $r;
    ?>

    resultado: 1

    Ex 2: <?php
    $z = 999.6;
    $w = 14.7;
    $r = fmod($z, $w);
    ?>

    resultado: 7.105427357601E-14

  • ftruncate( $arquivo, $tamanho ) - reduz um arquivo a um determinado tamanho.
    Ex: <?php
    $file = fopen("arquivo.txt", "a+");
    ftruncate($file,100);
    fclose($file);
    ?>


  • function_exists( $nomeFuncao ) - verifica a lista de funções definidas pelo usuário retornando true caso esteja definida.
    Ex: <?php
    if (function_exists('suaFuncao')) {
    echo "suaFuncao está definida.<br />\n";
    } else {
    echo "suaFuncao não está definida.<br />\n";
    }
    ?>

  • fwrite( $ponteiro, $string, $tamanho ) - Escreve no arquivo. Os argumentos são o ponteiro, a string e o tamanho em bytes.

  • get_magic_quotes_gpc ()
    Para saber se o Magic Quotes está ativado para você, basta fazer: <?php echo get_magic_quotes_gpc(); ?> 1 --> TRUE 0 --> FALSE
    Quando get_magic_quotes_gpc() retorna TRUE nenhuma aspa dupla, barra invertida ou NUL's ganharão escape. Somente aspas simples ganharão escape, ou seja, faz a função automática do addslashes();

  • gettype( $variavel ) - retorna o tipo da variável.

  • glob( $padrão, $flags ) - retorna um array de nomes de arquivos ou diretórios que correspondam a um padrão especificado.

Convencionamos ao longo dos anos que determinados formatos de representação sugerem um determinado instante ou um dia, um mês, um ano. No entanto, esses formatos são de difícil tratamento, uma vez que obedece a uma estrutura complexa com meses com diferente número de dias, anos com mais ou menos um dia, etc…

Surgiu, assim a necessidade de simplificar a representação de datas, para podermos tratá-las informaticamente. O mais famoso é o Unix timestamp, vulgarmente chamado apenas timestamp. É um número com a contagem dos segundos desde o dia 1 de Janeiro de 1970 às 00:00:00 sendo este o timestamp 0. Assim se subtrairmos o timestamp de ontem as 2:00:00 ao de hoje as 2:00:00, iremos obter o número de segundos que passaram entre os dois instantes, neste caso 86400 (1 dia).